sábado, 23 de janeiro de 2010

Ginásio (a diferença é que o marroquinos baixavam o preço!)


O post prometido. Ginásio: primeiras impressões.


A última vez que me lembro de ter sido tão comercialmente assediado foi num mercado em Marraquexe. Daí esta estranha correlação entre ginásios, marroquinos, mercados e Marraquexe.

Tudo começou quando, logo após a inscrição, me anunciaram que iria ter direito, gratuitamente, a não uma, mas sim duas avaliações: uma avaliação física (de que já me tinham falado) e uma avaliação de saúde. E logo aí meteu um discurso, de tom artificial, acerca de como seria bom complementar o meu treino com todos os serviços de day spa (desconfio sempre que me oferecem um serviço com um nome estrangeiro... mas pode ser defeito meu).
- Respondi: pois, está bem, sim senhor, muito obrigado, logo vemos...
- Mas os preços são muito bons, repare que os sócios, pagam apenas metade de um balúrdio...
- Pois obrigado, logo vemos, até à próxima.

Um dia depois, telefonam para marcar a primeira avaliação. Percebi que seria a avaliação física e lá fui todo equipado, mas afinal era a dita avaliação de saúde. E mais uma descarada e ostensiva sessão de vendas, desta vez protagonizada por uma menina de cabelos ondulados, para tentar impingir um vasto leque de serviços: incontáveis tipos de massagem, aromo-terapias, duche sei lá do quê, tratamentos de rosto, e culminando nas depilações. Ela ainda me perguntou se eu me depilava!...

Ora eu nem a barba me apetece fazer, quanto mais me depilar. Virgem santíssima! Já mudei de opinião acerca de muitas coisas... mas se um dia, vocês que me conhecem, suspeitarem que estou a pensar depilar-me... por favor... chamem os senhores da bata branca e mandem entregar na Av. do Brasil!

Claro que não disse nada disto; limitei-me a recusar educadamente. Vamos ver, para já não, de qualquer forma muito obrigado. Ela também deve ter percebido que teria poucas hipóteses de me vender um tratamento de rosto ou depilação, quanto muito uma massagem, e assim nos despedimos.

Já que ali estava. Lá fui para o ginásio, embora confinado à zona de cardio-qq coisa - visto que ainda não tinha feito a avaliação física. Um dos moços lá me explicou como é que funcionavam as bicicletas (a parte de dar ao pedal já conhecia) e fiz 45 minutos em baixo endurance. Que seca! Calor. Televisões por todo o lado. Faltou me o vento fresco e a estrada a passar. As televisões, particularmente, perturbaram-me um bocado. Estão por todo o lado e impediram-me de desligar o cérebro - para mim o essencial - gamaram-me o zen.

Verdade seja dita que não me pareceu estar a visitar nenhum death club, mas talvez não estivesse na sala certa. Toda a gente com que eu contactei me aconselhou prudentemente (ou tentou vender-me alguma coisa). A manobra mais ariscada a que assisti foi a de uma senhora a andar com a passadeira bastante inclinada, praticamente pendurada no monitor, enquanto mandava uma mensagem no telemóvel...

Finalmente hoje, a avaliação física: questionário para descartar qualquer responsabilidade; peso, altura, está um pouco pesado mas já deve saber isso; pressão arterial boa; % de massa gorda elevada; 6 minutos de bicicleta e conseguiu perceber que a minha condição cardio-vascular até não era má dadas as circunstâncias.

E, desta vez inesperadamente, voltámos à venda. Qual vendedor de carpetes, malas de cabedal ou espadas berberes, o avaliador (um depilado!) puxou da folha e tentou impingir os seus serviços de personal trainer (PT, segundo a moda). 85 euros/mês? Isso é porreiro, mas eu sou forreta. Segundo round: então só duas sessões, 80 euros. Porreiro, mas... Parecia uma daquelas sessões de venda de colchões a incautos, que decidem recolher o telemóvel totalmente gratuito.

Por fim, lá me mostrou as máquinas e os exercícios e definiu um plano de treino a despachar.

A diferença é que os marroquinos baixavam o preço e falavam francês!


11 comentários:

  1. Estou rendido Pedro...

    Acordo eu cedo, tomo o pequeno almoço, preparo-me para ir para a piscina e reparo no teu post... acabo por interromper o meu ritual para dar uma vista de olhos ao que tens para dizer... acaba por ser um regalo começar assim a manhã...

    Obrigado pelo que partilhas... e pela forma como o partilhas.

    Abraço,

    Rui

    ResponderEliminar
  2. Lindo! muito bom! das duas uma Holmes ou Solinca.
    Um dia vens conhecer o meu ginásio que não impinge nada a ninguém. Mas olha que não impingir é dificil. Passo por burro. Mas eu não me importo!

    ResponderEliminar
  3. Rui Pena -- ena, obrigado, mas não exageres!
    O mérito não é meu, há alturas em que realidade é demasiado boa.

    ResponderEliminar
  4. RuiRuim -- não vou revelar aqui o nome do ginásio, exactamente porque não precisam de mais publicidade :)

    Todos temos que ganhar a vida. Mas de facto cheguei a sentir-me constrangido. Há formas mais "amenas" de vender.

    Pode ser que um dia visite o teu ginásio...
    Talvez vá correr a meia de Setúbal!

    ResponderEliminar
  5. Olá,

    Massagens, depilação, Spa, banhos, meninas de cabelo ondulado a perguntar se te depilavas? Tens a certeza de que não te enganas-te no estabelecimento?
    Julgava que o BE ainda não tinha conseguido passar o Dec. Lei para legalizar essas "casas"... estranhos esses sítios que frequentas!
    Não te quiserem vender um time-sharing em Albufeira ou um colchão vibratório? Deve ser da próxima.

    Mas um ginásio... não é um sitio para fazer exercicios ginásticos?

    Não encontras-te a sala mas olha que estás perto.... a avaliar pelo cartão de visitas deve ser um sítio tecnicamente superior. Experimenta ir fazer uma aula de RPM...
    O ginásio dos tempos modernos são qualquer coisa entre uma matiné de uma discoteca, uma salão de beleza e uma aula de educação física do 7º ano (com a diferença que a Prof. teve de estudar uns 4 anos para lhe chamarem "stora")

    Deixo-te um post que uma vez escrevi para me rir com isto das babes de dos babes dos Ginasiums http://adinamicadopedal.blogspot.com/2008/02/o-que-se-no-se-v-nas-aulas-de-spinning.html

    Temos de combinar a sessão de massagem Tailandesa com algas do Mar morto... se estiverem em saldos.

    ResponderEliminar
  6. Pedro Alves -- Pois... não gosto de aulas. Já quando andava na escola, não gostava de aulas. Agora que já sou crescido prefiro não as frequentar.

    Sempre que passava a caminho de almoço e via aquelas alminhas a correr ou a "ciclar" dentro de um ginásio (mesmo com bom tempo no exterior) me tinha perguntado o que lhes passava pela cabeça. E na realidade não pode passar nada de bom.

    Vou sim para tentar fazer algum treino de força com pesos, para reforçar e equilibrar os músculos das canetas.

    Estamos combinados para a massagem. Espero que conheças algum sítio mais baratucho, que ali não te safas :)

    ResponderEliminar
  7. Excelente post!
    O post que o Pedro refere é um dos meus preferidos dele.
    Tupperware-sports, I say!
    Ainda há dias tive que correr numa passadeira (1ª vez) por causa de uma prova de esforço, e detestei. Faltou a deslocação de ar, a natureza, a própria deslocação! e transpirei brutalmente. E por causa dos electrodos, ainda tive direito a ser depilado no peito :( Além da estética "malhada" que tenho agora, isto dá uma comichão!!!
    Espera até chegares aos balneários - As depilações são completas! LOL

    ResponderEliminar
  8. Se vieres correr a meia de Setúbal diz qq coisa. quando é isso?

    ResponderEliminar
  9. César -- bom, em princípio não vou comentar nada acerca de balneários... hoje reparei no entanto que no espelho dos balneários existe uma televisão! what the fuck! parece um cenário de filme de ficção cientifica que correu mal, uma qq distopia tipo 1984 do Orwell.

    ResponderEliminar
  10. RuiRuim - acho que é no início de Maio (http://www.atletismo.carlos-fonseca.com/calendario.htm).

    Vamos ver; ainda falta muito. A minha ideia inicial era fazer a meia da ponte 25 de Abril, mas ando num processo de gestão da "inflamação" do joelho, por isso a Maio é uma data mais realista para uma estreia na meia-maratona.

    ResponderEliminar