quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

A medicina do trabalho

"A medicina do trabalho" também daria um bom nome para um blog. 

Foi dia de ir ao doutor. Não gosto particularmente de médicos, fazem-me sempre lembrar o cangalheiro da banda desenhada do Lucky Luke, que está sempre a tirar as medidas aos vivos. Ainda não perdi a esperança que algum me aconselhe a não trabalhar, mas tinha sobretudo alguma curiosidade em perceber em que estado estava a carcaça depois de todas as mudanças dos últimos meses.

E, de facto, quase que pareço uma pessoa saudável.
  • Colesterol: 167 (marca verdadeiramente histórica; não me lembro de ter nunca menos de 200 e tal)
  • Glicemia: 86 (já ao fim da manhã, depois de pequeno almoço habitual)
  • Freq. Cardíaca Repouso: 44 (há seis meses atrás andaria pelos 60 e tal, 70)
Uma palavra para esses valorosos profissionais que tornaram possível esta consulta de medicina do trabalho:

A enfermeira era simpática e nem sequer lhe levo a mal ter-me picado o dedo de forma extremamente dolorosa. O sr dr. era uma personagem verdadeiramente surreal... falava claramente demais... a certa altura perguntou-me se eu costumava ver novela da sic, referindo-se a um caso de alguém que julgavam morto, mas que mais tarde apareceu vivo, que afinal não tinha morrido... doutor: não vi, mas é como se tivesse visto!

Sem comentários:

Enviar um comentário