quinta-feira, 27 de maio de 2010

Sub-27: um clube muito exclusivo

Fonte: http://www.sportsscientists.com/2010/05/sub-27-10km-limit-exclusive-club.html

Mais foram as pessoas que chegaram ao topo do Monte Everest do que aquelas capazes de correr 10 mil metros em menos de 27 minutos. Apenas 31 pessoas o conseguiram. O mais recente membro é Chris Solinsky. O único não africano do grupo. O domínio africano é tão esmagador que quase torna o desporto desinteressante...






Também o mais alto e o mais pesado de todos os elementos do clube.

O peso médio, excluindo o americano, é de uns meros 55kg. E a altura média é de 1,69 m. Há pouco espaço para os grandes e fortes; e querem-se pequenos e rápidos.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Rotura da inserção superior dos isqueo-tibiais

Há pois é... É apenas diagnóstico preliminar, mas não deve andar longe.
6 a 8 semanas de recuperação.

Perder peso sem fazer desporto será uma novidade, ou uma impossibilidade?

Vou continuar apenas com a natação 2x por semana e caminhar moderadamente...

Pior do que manter o peso; será manter a sanidade mental. Isto faz-me muito mal.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

História de uma lesão

15-Mar: 58 km + natação + ginásio = 7h54m
22-Mar: 52 km + natação + ginásio = 6h57m
29-Mar: 60 km + 2 x natação = 7h48m
05-Abr: 50 km + natação + ginásio = 6h15m (corrida dos sinos 15 km)
12-Abr: 66 km + natação = 7h34m
19-Abr: 44 km = 4h26m
26-Abr: 87 km = 8h45m
03-Mai: 79 km + natação + ginásio = 9h15m
10-Mai: !!! ai !!!

Infelizmente a lesão ainda não se foi embora... e já percebi que tenho de esperar. Aborrece-me, é verdade. Haverá outras provas. Se não houver inventa-se! A minha filha já sugeriu um nome: meia maratona dos tambores.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Afinal não sou o super-homem

Há alturas na vida em que pressentimos que vamos fazer merda, mas ainda assim uma espécie de curisidade mórbida impele-nos a continuar e, realmente, fazemos merda da grossa. (peço desculpa pela linguagem, mas estou um pouco chateado comigo próprio e isto ajuda).

Pela primeira vez desde que começei a treinar, deixei um treino a meio; não fui capaz de terminá-lo. Mas definitivamente a estupidez foi tentar fazê-lo. Ou talvez a culpa não tenha sido deste treino, mas do acumulado das últimas semanas.

Acho que lixei qualquer coisa na minha perna direita, junto à virilha e nádega. Parece-me uma inflamação dos tendões ou articulações dessa zona. Quando me apoio na perna doi-me; parece haver uma compressão dalgum nervo...

Dois dias de folga e vamos ver como evoluí. Estou a 1 semana e meia da meia-maratona. Talvez não seja desta.#$!#$%

sexta-feira, 7 de maio de 2010

A dieta e a inflamação

Primeiro que tudo, e mais uma vez, o disclaimer: não nutricionista, duvidem sempre do que eu digo a este respeito, etc.

Desde que comecei esta viagem (já lá vão 9 meses, deve estar para nascer o menino) que tenho sido atormentado pelas mais variadas inflamações: tornozelos, joelhos, tendinites, etc. É dos ténis; é da postura; é genético; é preciso tempo, dá-lhe tempo; mete gelo (esta ajuda).

A verdade é que em desporto de endurance, mais tarde ou mais cedo, alguma coisa há-de inflamar.

Então e a dieta? Terá alguma influência?

Aparentemente, sim. Li-o a umas semanas; e comprovei-o em experiência directa. A inflamação de articulações e tendões poderá ser agravada por uma carência de ácidos gordos ómega-3 (os famosos);  ou melhor, um desequilíbrio excessivo entre a quantidade de ómega-3 e ómega-6 (ambos pertencentes ao grupo dos das gorduras polinsaturadas).
Os ómega-6 estão por todo o lado. São abundantes em determinados óleos vegetais, que, pelos seu baixo custo, são usados na confecção de uma grande número de alimentos processados. E mesmo quem procure evitar grande parte desse tipo de alimentos (como é o meu caso no momento), alguns há-de sempre comer - como por exemplo o pão.

Os ómega-3 são reconhecidamente benéficos para o sistema cardiovascular, impedido a fixação de gorduras saturadas e outras e também um potente anti-inflamatório. Os ómega-3 não conseguem ser sintetizados pelo organismo, tendo que ser ingerido através da alimentação. Fontes de ómega-3: salmão, atum, sardinha, bacalhau e outros peixes de águas frias; nozes; sementes de linhaça. 

Comecei então tentar comer mais peixe (nomeadamente salmão) e experimentei a comprar sementes de linhaça. As sementes de linhaça agradaram-me; podem misturar-se na comida, na salada ou no iogurte; basta uma a duas colheres de sopa por dia (atenção que têm que ser trituradas, senão saiem tal e qual entraram).

O que vos posso dizer é que quase de imediato senti uma melhoria relativamente à inflamação crónica que sentia nos joelhos e que só conseguia conter com aplicando gelo. Não desapareceu completamente, mas está bastante melhor. Corro 60/70 km por sem problemas de maior, o que me abre novas perspectivas.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

83!

A minha mãe já me perguntou se estava tudo bem comigo; que estava a ficar muito magro (não lhe fui capaz de dizer que ainda precisava de emagrecer mais uns 10 kg).
A senhora do café perguntou se andava nalgum nutricionista.
A vizinha da minha sogra perguntou-lhe se eu estava doente.
Até o meu chefe reparou que estou mais magro!

sábado, 1 de maio de 2010

Meia dos palácios

Já estou inscrito. Sintra-Queluz, 23 de Maio. Um percurso maioritariamente a descer, mas com algum sobe e desce que não me agrada especialmente. Os meus quilos a mais não me favorecem.

Uma vez mais indecisão relativamente ao ritmo a adoptar: 5:10/km, 5:05/km?
Logo se verá!

Os treinos vão bem e é difícil apontar em que ponto estarei por altura da prova. Era altamente desejável perder mais uns quilos, mas com treino de intensidade elevada não é fácil (ou será uma boa desculpa para os excessos gastronómicos das férias?) ...