domingo, 4 de julho de 2010

Ben-u-ron, 9.6 km, 44:50

Começando pelo princípio... que é, regra geral, por onde todas as histórias começam.

Por curiosidade faz hoje um mês que regressei aos treinos depois da pequena mazela que me deixou 3 semanas e tal no estaleiro. Foi um mês bastante consistente em que fui aumentando gradualmente a quilometragem, mas sem exagerar muito (50 e tal km por semana). Também não fiz séries, apenas alguns (poucos) treinos de intensidade média. Ainda assim, a forma foi progredindo, aproximando-se do patamar em que estava antes da lesão.

Tinha a ideia de fazer pelo menos mais uma prova, de preferência 10km, antes que outros eventos felizes me venham condicionar estes luxos. A corrida da Santa Casa, em Lx, a 4 Julho pareceu-me perfeita. O percurso era bastante favorável (leia-se a descer) e achei que me faria bem ao ego.

O ben-u-ron. Então não é, que nem de propósito, na sexta-feira começo com uma bela constipação... ranho por todo o lado, lenços e lenços... completamente congestionado, dores de cabeça... algumas dores no corpo. Será que não há maneira disto começar a correr bem!? Na sexta à noite já não saí para o treino que tinha programado, para ver se a coisa se recompunham. No sábado não teve grandes melhoras, mas estava determinado a ir a esta prova. Um anti-histamínico e um ben-u-ron à noite, outro de manhã e tudo me pareceu bem melhor... Além disso tive o bónus de dois dias sem treinar e pernas frescas.

Cheguei cedo. Levantei o dorsal. Bebi água. Fiz xi-xi. Esperei. Esperei. Por volta das 9 e tal chega um colega de trabalho - desta vez ia ter companhia. Aquecimento, aquecimento. Não era preciso muito que está um calor do caraças.

É então que os altifalante anunciam: não sei quê, não sei quê, alterações de última ou penúltima hora, a prova irá ter apenas 9.6 km (sensivelmente) e não os 10km anunciados. Ora não é caso para uma pessoa se chatear. Tudo isto é uma brincadeira - mesmo tudo. A inscrição até era grátis e ofereciam coisas... havia palhaços, o que é que uma pessoa pode esperar mais?... Na nossa terra é tudo sensivelmente como deve ser. 

Começa a corrida. Primeiro km muito rápido (Parque-Praça de Espanha); era a descer e estávamos frescos: 3:58. Segundo e terceiro (Av.Berna-Av. Republica): 4:33 e 4:27. Quarto e quinto km abrandei um bocado (5:07, 4:47). Estava um calor desgraçado. Tentei beber qualquer coisa no posto de abastecimento, mas a arfar como ia, não é fácil. Sexto km também rápido. Ao sétimo novo abastecimento e uma pequena subida. Estava já bastante rebentado. As pernas não estavam mal, mas FC sempre lá em cima a tocar no tecto (efeitos do calor). Daqui para a frente (do Saldanha aos Restauradores) é sempre a descer e, segundo o plano inicial, voltei a acelerar: 4:33, 4:20.

Tempo final (a fiar-me no relógio da organização que estava por cima da meta e devia estar sensivelmente certo): 44:50. Isto para, sensivelmente, 9.6 km. O que, para, sensivelmente, 10 km daria: 46:42.

Excluindo a distância pouco sensível da prova, a organização pareceu-me bem. 

Há um ano atrás teria dificuldade em correr 100 metros. Pesava mais 26 kg do que agora. Que mais serei capaz de fazer?

3 comentários:

  1. Parabéns pela Prova, o tempo alcançado é um tempo muito bom, tendo em conta a constipação e o tempo de paragem pela lesão. Agora é sempre a somar km´s.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. belo tempo! toca a aumentar essa quilometragem agora.

    ResponderEliminar
  3. Acho que a constipação acabou por não condicionar muito. O principal obstáculo foi mesmo o calor. Devia estar próximo dos 30 graus. Até os pés iam a ferver. Fui quase sempre com a frequência cardíaca elevadíssima, média de 180, muitas vezes a 185, 186. Num dia de inverno poderia ter sido melhor, mas acho que já foi muito bom para mim.

    ResponderEliminar