domingo, 22 de janeiro de 2012

Não te queixes!

Olá. Há já algum tempo que não dava aqui notícias de mim. Primeiro porque nada de relevante havia a dizer, depois porque estava a custar-me vir para aqui queixar da vida. Mas se há quem se queixe que as reformas não chegam para as despesas, porque não havia eu de me queixar do pouco que tenho corrido. Uma verdadeira crise, meus senhores e minhas senhoras.
Tudo corria pelo melhor. Após cinco semanas de recuperação, nas calmas, aumentando gradualmente o número de treinos e quilómetros, preparava-me eu para começar a treinar mais a sério e largar estes 2 quilos parasitários. Eis senão quando a minha patrocionadora (em tempo de corrida) resolve pregar-me uma valente partida. Pé partido - ela, não eu. Mas na prática o efeito é o mesmo: sem ninguém capaz de tomar conta das crianças à noite, acabaram-se as corridas. Chato - para toda a gente. Após o terceiro dia sem correr o meu humor, que já não é famoso, começa deteriorar-se abruptamente; ranjo inadvertidamente os dentes; e tenho episódios quase psicóticos. 6 semanas de gesso... no mínimo. Não é sustentável, portanto. Arranjei então, ao fim de uma semana sem correr, forma estender a minha hora de almoço de modo a correr durante 40 minutos. É pouco, mas é melhor do que nada. Tudo seria mais fácil de houvesse balneários no escritório, mas a administração tem mais em que pensar.

Com todas estas peripécias, infelizmente não sei se conseguirei ir ao treino do fim da europa... 

Ah! e já estamos em 2012. (Não deixa de espantar a velocidade com que o tempo tem avançado desde que fiz 18 anos). Retrospectiva de 2011, reflexões, objectivos, etc... 2011 foi muito bom. 2012 ainda vai ser melhor  (estou tão farto de ouvir telejornais deprimentes!). Em 2011 bati os meus melhores tempos nos 10K, 15K, 20K, meia-maratona e maratona - extraordinário. O objectivo em 2012 será fazer portanto o mesmo (mas agora será mais difícil...). A maratona é a distância que mais gosto, sem dúvida. O grande desafio, não sei se para este ano, será chegar às 3 horas. Não será fácil...
Por outro lado, continua latente em mim um fascínio pelas ultra-distâncias... talvez ainda não esteja fisicamente preparado para grandes desafios a esse nível. Em particular, embora não saiba exactamente porquê, interessa-me esta singela prova: os caminhos do tejo. Não deverá ser ainda este ano - a menos que seja acometido por uma qualquer loucura. 

PS: para não vos aborrecer com os registo dos meus treinos, não deverei continuar a publicar os fastidiosos resumos semanais; mas quem tiver esse "género" de curiosidade pode sempre seguir-me no twitter.