domingo, 29 de abril de 2012

De volta...

mas ainda com cautelas. A anca parece ter-se finalmente recomposto após 3 semanas. 

Começo já a pensar nas maratonas de Outono. Antes disso pouco me interessa. Ainda não estou completamente decidido, mas este ano devo repetir Porto e Lisboa embora de forma inversa: em "treino" no Porto, com foco em Lisboa.

O plano é flutuar durante os próximos 2/3 meses, construindo um boa base, para depois começar realmente o plano de treino para a maratona. 18 semanas, o mesmo que segui o ano passado (advanced marathoning) com bons resultados. Senti a tentação de passar para o nível seguinte, mas é realmente impossível, o meu dia não tem horas suficientes. Em fez disso, vou tentar focar-me naquilo que não consegui fazer convenientemente o ano passado:
- tentar fazer um segundo treino longo (~2 horas) durante a semana
- 3 sessões de core
- 2 sessões de força
- 1 sessão de flexibilidade

Talvez volte ao resumos semanais aqui no blog.


sábado, 14 de abril de 2012

Pause

Já há alguns dias que tomei a decisão de não ir ao ultra-trail de Sesimbra. Isto apesar de, após minha solicitação, a organização de ter prontificado a trocar a minha inscrição para a corrida dos "mais pequeninos", o trail de 20km. Seria um boa experiência e talvez uma manhã agradável, mas não vai acontecer. Resta-me ficar em casa a assistir à maratona de Paris pela eurosport, atento a Roterdão onde um outro senhor vai tentar bater o record do mundo (nestes dias é parece que é o exigido para entrar na equipa olímpica do Quénia - que fartura!).

Mais uma semana em pause. Isto depois de no fim de semana anterior, na sequência de um treino longo (~30km), me ter aparecido uma dor na zona de encaixe entre a perna direita e a anca. Seja o que for, foi provavelmente agravado por ter insistido em continuar o treino até ao fim. Já devia ter mais juízo.

Com tanta pausa, resta-me esperar que o corpo se recomponha - deverá ser uma questão de tempo - e começar do zero, de forma planeada, premeditada, progressiva, etc.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Pneumonia, Diarreia e 50km

Pelos vistos chegou aquela altura do ano em que fico doente. Nada a fazer. É verdade que já algum tempo que, incrivelmente, me esquivava a virus e viroses, bactérias e outras que tais - 80% da família próxima e colegas de trabalho doentes e eu a rir. Pois agora calhou-me a mim.

Logo a seguir à corrida das Lezírias, fui acometido por o que pensei ser uma virose que me deixou (como é habitual em mim) completamente prostrado durante um dia. No dia seguinte parecia estar melhor, mas a tosse agravou-se e andei a semana toda a meio gás - treina, não treina -, até que decidi ir ao Hospital. Voilá: pneumonia. Uma semaninha a antibióticos e sem correr um metro. 

Não será talvez coincidência que isto tenha acontecido a seguir a umas das minhas maiores semanas de sempre em termos de treino (116km), apesar de mais de metade destes terem sido feitos a muito baixa intensidade. Já o ano passado tinha ficado doente exactamente pela mesma altura, depois de ter "saltado" para uma semana de 100km, finalizada por uma prova.

De volta aos treinos; recuperar o tempo perdido; já para a semana tenho a corrida dos sinos e um treino longo combinado com um colega em monsanto. Pimba! Sábado de manhã; os intestinos gorgolejaram de forma pouco habitual; não deve ser nada, daqui a pouco já estou bom. Nem treino longo, nem corrida dos sinos (para grande pena minha). Decadência total. Ainda estou na ressaca, mas já consigo comportar-me de forma condigna.

Agora a grande questão: 50km? 

Voltemos um mês atrás. Não estava propriamente em grande forma, mas andava a correr de forma consistente. Faltavam-me os treinos longos, que são essenciais, mas estava determinado em trabalhar esse aspecto. Faltava também (para o meu objectivo) correr mais fora de estrada e com algum desnível; o que é mais difícil de encaixar na minha rotina, mas alguma coisa se há-de arranjar... Inscrevi-me no ultra-trail de Sesimbra. O objectivo seria completar a prova num ritmo modesto, que condições para mais não haveria.

A 12 dias da prova estas são as grandes questões: 50 km? com um piso difícil e a que não estou minimamente adaptado? 6 a 7 horas de prova (se corresse bem)?

Não sei o que será mais difícil para mim. Arrastar o corpo durante 50km ou ideia de mais um plano abandonado durante uns meses...