quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Maratona de Lisboa

Para correr um boa maratona, a tua melhor maratona, são precisos, creio eu, três atributos "metafísicos": auto-conhecimento, auto-confiança e honestidade. 

Porque: ninguém engana a maratona; é demasiado longe para manter uma mentira. 
Porque: a falta de confiança, faz nos por vezes parar antes de tempo, sofrer antes de sofrer; é medo, que se transforma numa mentira. 
E porque: quem não conhece, quem não se conhece... quem não sabe do que é capaz, não poderá nunca ter verdadeira confiança e honestidade.

Falas bem, mas corres pouco.

Sou, como grande parte dos corredores, de natureza introspectiva. Mas nem por isso me posso ou quero gabar de grande domínio "metafísico" da maratona. Nem físico, nem metafísico.


Bom, esperava ver aqui um relato da minha modesta participação na maratona de Lisboa, já deve ter desistido. Ainda assim, aqui vai:

Parti com o objectivo de realizar 3:10. Sabia que tinha que ser conservador na primeira parte da maratona, para não quebrar e conseguir aproveitar o terreno plano entre a praça do comércio, Algés e volta. Assim fiz: após um primeiro km de aquecimento relativamente lento, dado que o pré-aquecimento consistiu e estar o máximo de tempo no interior do pavilhão, fiz a quatro primeira léguas em 22:18, 22:11, 21:51 e 22:06. Já na marginal, consegui contornar sem problemas de maior a meia-maratona e progredir sem grandes constrangimentos (apenas dois pontos difíceis, junto às docas de Santos e na chegada a Algés, em que o percurso estreita em demasia). 22:13, 22:23 e 22:29 já com vento contra na direcção da praça do comércio. Com as ancas meio desfeitas e as pernas bastante tensas inicio enão temível ascenção... Keep moving. 15 ou 20 minutos e estás lá em cima. Já fizeste isto antes. A meio da subida ainda tentei forçar um pouco, mas os músculos ameaçaram trancar. Como um bom veterano, lá tive que dar duas ou três sapatadas no chão para voltar a repor a ordem. Desta vez tentei consumir gels com maior quantidade de sódio e apesar de tudo acho que ajudou... Calculava perder no mínimo um ou dois minutos nesta subida - é quase inevitável. Perdi talvez uns três minutos. E portanto fiquei-me pelos 3:11:26. Melhor que o ano passado. Melhor do que este ano no Porto. Definitivamente melhor do que 2009.



3 comentários:

  1. Caro Pedro Gomes
    parabéns, uma marca muito boa e numa maratona que como sabemos não é fácil, excelente mesmo.
    Abraço.

    ResponderEliminar